Qual empreendedor nunca se fez essa pergunta em algum momento: Qual o melhor preço de venda para meu produto ou serviço? Para ajudar você nessa empreitada, neste post vamos mostrar alguns passos que certamente vão lhe ajudar a definir o preço de uma maneira mais fácil e intuitiva.

 

Você sabe o que é preço de venda?

Em suma, preço é o valor, normalmente contabilizado em dinheiro, que é atribuído ou cobrado em troca de um produto ou serviço. Esse valor é quanto o seu cliente deve ter para poder adquirir os bens ou acessar os serviços que sua empresa está oferecendo.

Para fazer a definição de preço dos seus produtos e necessário levar em conta diferentes fatores, como custos de produção, distribuição, divulgação, tributos. Também é necessário saber volume da compra, demanda, concorrência do mercado entre outros.

 

Como formar o preço de venda

Existem duas maneiras de se chegar a formação de preço de venda:

  • Fazer o cálculo tendo como base despesas e custos ou
  • De acordo com os clientes e o mercado.

Mas, para ter um cálculo mais próximo da realidade e encontrar realmente o custo ideal de um produto, é necessário que as duas maneiras sejam levadas em conta, pois não podemos somente levar em consideração os custos e despesas, mas também é necessário conhecer o mercado e os preços que sua concorrência está exercendo, senão seus valores pode ficar muito fora da realidade do mercado. E o contrário também é válido, afinal de nada adianta se basear no preço da concorrência, sendo que seus custos são completamente diferentes. O ideal é chegar a senso comum com base nesses dois indicadores.

Então, como calcular o preço de venda e quais aspectos você deve levar em conta?

 

Conheça e entenda o sistema tributário

De antemão, o empreendedor deve ter o conhecimento sobre o sistema tributário que seu negócio se encaixa: Lucro Presumido, Lucro Real ou Simples. Com essa informação, o empresário já tem uma noção maior das suas despesas com tributos.

Sendo assim se sua empresa se enquadra dentro do Simples, não tem direito a crédito tributário, se estiver no Lucro Presumido será necessário retirar o valor do ICMS (18%) e se por acaso se enquadra no Lucro Real pode descontar o valor da COFINS (7,6%) e do PIS (1,65%) – sendo que os termos da substituição tributária não são os mesmos para o ICMS.

 

Calcule gastos fixos e variáveis

Toda a empresa possui despesas fixas e variáveis, esses valores devem estar embutidos no valor total do produto ou serviço que está sendo comercializado. Assim, é necessário organizar uma tabela de gastos de acordo com o montante despendido tanto com o produto, quanto com a empresa.

O que são os gastos fixos

Esse tipo de gasto aparece mensalmente nos custos da empresa, neles se enquadram a remuneração dos colaboradores e o aluguel, por exemplo. Você deve se perguntar, mas o que esses gastos tem haver com o preço final do meu produto? Tudo está ligado, esse valor deve ser embutido no valor no produto ou serviço, pois todo o mês ele vai estar ali sendo uma despesa e afetando seus resultados. Então, o valor para pagar essas despesas deve vir de algum lugar.

O que são os gastos variáveis

Em suma são aqueles que tem um variação mensal, nunca um valor fixado, gastos que mudam de acordo com as vendas da empresa. Por exemplo, taxas para emissão de boletos registrados, taxas de cartão de crédito, valores referentes a visitas feitas aos clientes, por exemplo. E por serem relacionadas ao faturamento da empresa, o ideal é manter o controle e definir o peso percentual que eles significam em relação às vendas.

 

Não esqueça de considerar liquidez e tabela

O preço líquido é valor de um produto sem nenhuma tributação ou qualquer tipo de desconto. É chamado núcleo duro do preço. Levando em consideração ele, que os preços são efetivamente formados.

Quando falamos de preço de tabela, levamos em conta o repasse para os clientes e por isso o opção tributária do seu negócio vai influenciar neste caso. Pois, é preciso somar o preço de venda líquido com os tributos, além de levar em conta as comissões para vendedores e o desconto que você vai oferecer para o cliente, caso seja aplicável.

Parece um tanto quanto confuso tudo isso, por isso o ideal é sempre estar em contato com seu contador e tratar as questões de tributos da sua empresa com eles, isso vai reduzir muito as chances de errar na precificação.

Tendo seu preço final já formulado, é necessário analisar como está seu negócio perante a concorrência, comparando o preço que você chegou ao preço que está sendo praticado no mercado. Somente desta maneira, você terá certeza que o melhor valor está sendo praticado. Não esqueça de levar em consideração o feedback dos clientes, analisando se eles realmente estão dispostos a pagar o preço que você definiu.

 

 

 

Autor

Gamatec

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *